FINLANDIA PRETENDE AUMENTAR PARA DOIS ANOS A PRÉ-ESCOLA

A notícia foi destaque nos jornais na terceira semana de abril, quando a maioria das escolas ainda estavam com o ensino escalonado a partir da 7° série.  O evento da pandemia, que fechou escolas no ano passado e colocou milhares de alunos em quarentena este ano, não foi desculpa para o governo finlandês se acomodar e interromper a busa por uma educação de excelência. A Finlândia está na confortável posição de 7° melhor educação do mundo. No entanto, segundo especialistas, a capacidade da escola primária de equilibrar as diferenças devido ao histórico dos alunos vem se desintegrando e o governo propôs uma solução para remediar o problema.

O Ministério da Educação e Cultura resolveu realizar uma experiência de educação pré-escolar de dois anos. O experimento será executado do início de agosto de 2021 ao final de maio de 2024. Estima-se que 10.000 crianças nascidas em 2016 ou 2017, que tenham completado cinco anos de idade, participarão do experimento.

Segundo a conselheira pedagógica Arja-Sisko Holappa e Mervi Eskelinen, do Conselho Nacional de Educação e especialista do Ministério da Educação, o objetivo seria minimizar uma série de desafios que a Finlândia vem enfrentando com o ensino pré-escolar. Estão entre os objetivos do experimento:

– fortalecer a igualdade educacional;

– desenvolver a qualidade e eficácia da educação pré-primária;

– explorar as continuidades entre a educação infantil e a educação pré e primária;

– esclarecer as opções de serviços para as famílias;

– obter informações sobre os efeitos de dois anos desta experiência da educação infantil no desenvolvimento e nas condições de aprendizagem das crianças, nas habilidades sociais e na formação de uma autoestima saudável.

 A avaliação da educação pré-escolar de dois anos faz parte do programa de desenvolvimento chamado “Direito de Aprender” do Ministério da Educação e Cultura.

IMPLEMENTAÇÃO

Os professores de pré-escola, assim como a sociedade em geral, receberam a notícia com bastante curiosidade e um pouco preocupados com a implementação do projeto. Uma vez que é um projeto de caráter experimental, de acordo com a Lei Experimental de Dois Anos de Educação Pré-primária (1046/2020), foram então selecionados municípios ou áreas compostas por municípios para fazerem parte do experimento. Infelizmente, por ser um experimento ainda baseado em uma configuração piloto, os municípios não puderam se inscrever. Foram, desta maneira, selecionados 105 municípios que participarão do projeto oferecendo a educação pré-escolar de dois anos. Além destes, foram ainda escolhidos municípios piloto que não oferecem educação pré-escolar de dois anos, mas atuam como municípios de controle.

Ainda não foram escolhidas as escolas de educação pré-escolar nem tampouco as crianças do grupo experimental. O experimento só poderá ser organizado em estabelecimentos de educação infantil que ofereçam a pré-escola.

As bases do currículo para o experimento pré-escolar de dois anos foi elaborado pelo Conselho Nacional de Educação que apoiará os organizadores do experimento na implementação deste. Na verdade, os fundamentos do experimento  baseiam-se nos princípios básicos do currículo pré-escolar de 2014, mas foram adaptados para se adequar ao experimento quando necessário.

O Conselho Nacional de Educação elaborou os critérios curriculares em conjunto com especialistas e pesquisadores em educação infantil. Os critérios foram elaborados de forma que as atividades e o ensino conduzidos por estes façam parte natural da trajetória de aprendizagem das crianças, desde a educação infantil até a educação básica.

Como todo projeto, necessitará de uma investigação dos resultados nestes dois anos, esta investigação acontecerá através do acompanhamento e avaliação da implementação da experiência, do grupo alvo, das práticas pedagógicas e funcionais da experiência, bem como dos fundamentos do currículo da experiência e dos currículos locais. Um comitê piloto dever participar da avaliação externa de suas atividades.

Para tanto, um registro experimental será estabelecido para coletar dados sobre os participantes do experimento. O objetivo do registro é permitir a gestão, estatística, acompanhamento e avaliação da implementação da experiência de dois anos da educação pré-escolar. Os dados do registro experimental são coletados e mantidos pelo Conselho Nacional de Educação e os dados serão armazenados no Conselho Nacional de Educação até o final de 2025.

Como sempre, a Finlândia prima por sua transparência de dados e informações.

Os educadores e pais podem acompanhar estes registros enviando perguntas ou comentários para o e-mail:  experimentrial@oph.fi e serem agentes ativos no experimento.

Estas informações obtidas com o projeto de pesquisa serão utilizadas como base para a tomada de decisão nacional.

O experimento começará em agosto deste ano. No momento, as fases de planejamento e implementação começam em municípios selecionados com arranjos práticos.

A secretária de Governo do Ministério da Educação e Cultura, Marjaana Larpa diz que agora começam a trabalhar no currículo local e a pensar no sistema de atendimento e na colocação de pessoal qualificado nos locais-piloto

Foto:Pexels – Natalie

COMO SERÃO SELECIONADAS AS CRIANÇAS?

A participação das famílias no experimento é voluntária e baseada no consentimento dos pais. Serão estes que deverão solicitar uma vaga para seus filhos, não será escolha da cidade ou governo. A educação pré-escolar já é oferecidade gratuitamente a todas as famílias, a única condição é que os pais estejam cientes que se comprometerão com os dois anos de pré-escola na mesma instituição que faz parte do projeto.

Na prática, o experimento significa que os municípios enviam aos pais informações sobre a possibilidade de participar do experimento quando os sites estiverem prontos com todas as informações. A família pode, se desejar, inscrever-se para a experiência com o formulário de inscrição.

PROFESSORES

teremos educadores suficientemente qualificados?

De Acordo com Mervi Eskelinen, no momento sim, mas com o avanço do experimento, mais professores qualificados serão necessários. Ela reconhece que em algumas localidades possa ser difícil encontrar professores adequados. Os professores qualificados seriam os com o título de professor primário, pedagogo (bacharel em educação infantil) ou professor de educação infantil.

O governo disponibilizou para o projeto 30 milhões de euros e, segundo Mervi, e o máximo de crianças que puderem ser incluídas neste orçamento. Os custos do experimento serão reembolsados ​​aos municípios com subsídio estadual. Municípios aguardam esclarecimentos e mais informações

O conselho nacional de educação ainda fará um evento informativo com as escolas escolhidas e haverá um apoio constante aos municípios.

As instituições de educação infantil já ofereciam iniciação a pré-alfabetização uma vez por semana, o chamado “Viskari” agora estas crianças terão diariamente a pré-alfabetização. Provavelmente será no turno da manhã, como já era no Viskari, deixando o período da tarde para as brincadeiras e socialização com os colegas mais novos.

Esperamos que o projeto atinja seus objetivos e consiga equalizar o background das crianças oferecendo uma passagem para o primeiro ano com mais qualidade de ensino-aprendizagem.

Referências

Korkeakivi,R. 2021.Kaksivuotista esiopetusta kokeillaan kohta yli sadassa kunnassa. Opettaja, pg5

https://minedu.fi/kaksivuotisen-esiopetuksen-kokeilu

https://www.oph.fi/fi/kehittaminen/kaksivuotisen-esiopetuksen-kokeilu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s